Canto porque pressinto

De Vasco Costa Marques
Canto porque pressinto
a face verdadeira
nesta com que, vivendo, à vida minto.
A cantar, tenho-a inteira.

Mas, tendo-a não tendo,
mais doi o agravo
de o poema ser livre
e o poeta escravo.

1 comentário:

.Leonardo B. disse...

[soubessem os homens de tantas incógnitas letras, anónimo uivo de palavra que se esconde, e envergonhar-se-iam de tamanha incompetência para aprender a palavra... a palavra, única, palavra!]

um imenso abraço

Leonardo B.