Mãe, o Cristo-Rei não se come?

De Vasco Costa Marques
Mãe, o Cristo-Rei não se come?
Não, filho, não come não:
o Cristo-Rei é do patrão.

Mãe, o Padrão não se come?
Não, filho, não come não:
o Padrão é do patrão.

Mãe, e se o Cristo-Rei
fosse um grande Bolo-Rei! ?
Dorme, filho, dorme, dorme:

enquanto se dorme não se tem fome.

2 comentários:

Anónimo disse...

Permita-me discordar com o autor. Na verdade, os processos fisiológicos e hormonais que acompanham a fome manifestam-se mesmo durante o sono, podendo afectar a qualidade deste.

Janaina disse...

Discordo do anônimo, aí a cima.
Estamos a falar de poesia, e esta ultrapassa a todos os processos fisiológicos. E sempre, desde miúda, ouço dizer que o sono alimenta...sei que não alimenta por longo tempo, mas, certamente não foi para o sono e os processos fisiológicos que o autor voltou a atenção. A fome foi o tópico.
Ademais, é muito lindo este poema!
Janaina - Brasil